A segunda marcha dos pingüins

Todo mundo está com a cara torta de fazer dengo ao ver imagens dessas aves alvinegras em nossa orla. Pois saibam a verdade. Esses animais recebem tratamento melhor do que muito refugiado neste país. Vamos aos fatos.

Está prevista para o final do ano, a construção de uma Base de Reabilitação no Zôo de Niterói. Os clientes? Em sua maioria pingüins, que contam com o apoio de biólogos, responsáveis por justificar suas vindas às badaladas praias cariocas ao fato deles se perderem nos mares do sul à procura de comida. O projeto está orçado em R$ 300 mil, onde será reproduzido o ambiente de uma praia, com pedras, vegetação de restinga e mangue.

Os bichos receberão tratamento em três piscinas onde farão fisioterapia, além de terem à disposição, consultório veterinário e acompanhamento nutricional. Ao atingirem a boa forma, os pequenos seguem de avião, em vôo da Força Aérea Brasileira (FAB), para outro centro de reabilitação no Rio Grande do Sul. Lá, são sujeitados a brincadeiras recreativas, as quais os cientistas chamam de estudos.

A farra termina em um último passeio de barco onde são deixados em correntes que (torço!) os levem de volta ao Estreito de Magalhães. O resto do ano já passou no cinema. Os pequerruchos nidificam no pólo sul ao som de música classica até atingirem a idade da esperteza quando planejam nadar de novo em direção aos leitos do Rio de Janeiro para desespero do nosso Corpo de Bombeiros e achincalhe das finanças públicas.

Só este ano 104 pinguins foram recebidos no Zôo de Niterói.

Texto baseado em informações publicadas hoje no jornal O Estado de São Paulo.

Nota da redação: Em adianto, rebato os mal-intencionados em atribuir a algum recalque paulista a fonte dessas informações verídicas que retratam as picardias do pingüins no Rio. Falta de praia pode contribuir para o distanciamento necessário para a busca do conhecimento objetivo.

3 Comments so far

  1. LP (unregistered) on July 31st, 2006 @ 4:20 pm

    Caro Sergio, a vida é cara! ;)


  2. Pedro Vilas Boas (unregistered) on August 1st, 2006 @ 9:41 am

    bom….

    os biólogos amam o que fazem. O que passa na cabeça dos biólogos e na dos amantes da natureza é que o homem está intensificando mudanças naturais.
    O que quero dizer,
    pinguins pararem aqui no brasil eu acho que de vez enquando é NATURAL… se perderam e vieram pra cá.
    Mas Rio de Janeiro virar residência oficial dos pinguins?
    Bom, eu acho que tem algum probleminha e não só eu. Diria que, principalmente, os biólogos sabem desse desequilibrio e se sentem culpados caso esses pinguins morressem. Daí doam a vida pra salvá-los.

    300 mil? é pouco… vida não tem preço
    políticos gastam em eleições uns 80 milhões? eu esqueci quanto, mas é numa dessas dezenas de milhões.

    O poder de raciocínio do ser humano, um resultado da evolução (discovery channel, domingo), de vez em quase sempre… se coloca, se põe, naturalmente acima de outras tipos de vida.

    Particularmente eu não divido ‘vida’. Ou melhor, pra mim ela não é categorizada, dividida em pastas feito no Windows. Pra mim ‘vida’ é ‘vida’.
    Daí eu parto pro raciocínio do tipo que a nossa vida vale exatamente a mesma coisa da ‘vida’ de um mosquito.


    Uma vez um professor meu disse… que o ser humano tem repulsa, não aceita, não se sente bem, ser igualado a qualquer coisa que julga vulgar, fétido, víl, etc (qualquer coisa que ELE, digo nós, julga inferior)
    Nos sentimos mal comparados a coisas que julgamos inferior.
    exemplo uns xingamentos que ofendem
    seu MERDA
    filho da PUTA
    DESGRAÇADO.
    vai pra PUTA que te pariu

    bom….bom.. meu professor explicando isso é bem legal =) rsrsss. bem melhor que eu =P

    voltando,
    daí, talvez, que parte os pensamentos de que “o que? A vida de uma formiga vale tanto quanto a minha?” seja uma ofensa a qualquer um de nós.

    É tudo relativo (aliás essa frase de Einstein é sensacional)…

    OBS GERAL: qualquer parte do texto que eu digo ‘você’ , substitua por ‘nós’.

    OBS TEXTO: perdoem-me! o texto ta muito mal explicado. Eu não fui muito claro e me faltou exemplos… talvez o que vocês entendam seja diferente do que eu quis dizer.
    Quando a gente pensa muito e ainda tem que escrever a gente perde o raciocínio, entra em contradição, etc Então perdoem-me.
    A intenção do texto é tentar exemplificar um tipo de filosofia. Não é pra ofender ninguém, pelo amor de deus =))))


  3. Pedro Vilas Boas (unregistered) on August 2nd, 2006 @ 10:04 am

    opaaaa. olha eu aqui!
    só pra ajudar a completar o post =)
    Sergiow,
    olha a notícia de hoje que achei no Yahoo:

    > Military to airlift penguins back home
    > http://news.yahoo.com/s/nm/20060801/od_nm/brazil_penguins_dc;_ylt=AoPnxuJ6WDWOFdnq3ky.2ATtiBIF;_ylu=X3oDMTA0cDJlYmhvBHNlYwM-



Terms of use | Privacy Policy | Content: Creative Commons | Site and Design © 2009 | Metroblogging ® and Metblogs ® are registered trademarks of Bode Media, Inc.