É o ai, jisus

De certa forma já contei aqui nesse sítio que eu adoro o Rio de Janeiro, mas também (ou justamente por isso) me ressinto de certas coisas na cidade. Tá, eu sou resmungona e reclamilda. Eu sou o Mutley e é ótimo, pois jamais tive paciência pra tanto rosa naquela Penélope. Ugh, enjôo total. Mas enfim, uma das coisas que me magoam sinceramente na maravilhosa cidade são as padarias. Sim, meus caros, as padarias.

Ao menos nesses 25 anos cariocas que me cabem eu nunca conheci um português que me fizesse admirar seus fartos bigodes pelo bom tratamento a mim dedicado quando eu pedi três franceses moreninhos, por favor. Nunca um gordo bom dia de sorriso largo em resposta ao sonho fresquinho que levei com tanto apreço. Jamais atitudes higiênicas ao comando de um pão na chapa e um suco de laranja, nenhum carinho pela bomba de chocolate servida logo depois. O máximo de gentileza que eu consegui dos portugueses – e isso inclui meu falecido e quase desconhecido avô (kibaé) – foi uma olhadela de uns cinco segundos em silêncio pros meus peitos numa dessas confeitarias pseudopaulistanas em Ipanema, em que todos vestem chapeuzinhos brancos de enfermeiro e fatiam o presunto cozido como se fossem estilistas ajustando manequins.

Hoje de manhã finalmente saí mais cedo para o trabalho, e, na mesma Anita Garibaldi, depois de enfrentar os gringos tontos de sono do Chez Lagarto e suas mochilas maravilhosas, fui tentar tomar um café na padaria da rua. Pra quê? Acho que era cedo demais ou whatever, fato é que, em vez de um pretinho básico com três gotas de adoçante, levei foi um balde de água fria, literalmente e cheio de espuma – o português estava lavando seu estabelecimento em horário comercial. Claro, errada sou eu. Mas para a mea culpa já marquei de comer no Manoel & Joaquim aqui da Siqueira, que, surpreendentemente, está aberto pro almoço.

p.s.: Aliás, estão anunciando na TV por assinatura a transmissão do Rock in Rio Lisboa. Rock in Rio Lisboa… Isso não dá a impressão de que o Pastel de Belém é lá do Pará?

4 Comments so far

  1. Cris (unregistered) on August 28th, 2006 @ 4:09 pm

    huahuahuahauha….essa é a Maíra que eu conheço! Haja “pachorra”!
    Imaginei perfeitamente a cena do balde d`água….blergt! Nojento!!! Queria ter visto a sua cara de ódio fuzilando o portuga.


  2. Camila (unregistered) on August 28th, 2006 @ 5:43 pm

    Começou bem o dia hein nêga?
    Ainda bem que eu não tava por perto…
    Quero saber se vc também passou sabão na careca do Portuga, pô se fosse comigo… Ai, ai, não quero nem imaginar.

    Já que o dia passou assim………..
    boa tarde e boa noite.


  3. Nuno Virgílio (unregistered) on August 28th, 2006 @ 6:05 pm

    Então a gente vai te levar a um estabelecimento luso-galego perto da tua casa onde a maior atração é justamente a baldada de água na canela dos fregueses.

    Marcim da FOJAP – Força Jovem da Adega Pérola


  4. letícia (unregistered) on August 28th, 2006 @ 6:23 pm

    eu tava hj de manhã ali na anita garibaldi…
    (:

    olha, tem padarias ótimas aqui na tijuca, viu?
    te convido.



Terms of use | Privacy Policy | Content: Creative Commons | Site and Design © 2009 | Metroblogging ® and Metblogs ® are registered trademarks of Bode Media, Inc.