Pausa pro café de máquina

10%20de%20novembro.jpg

* O céu está assim no Rio. E não tem cara de que vá melhorar no fim de semana. Resultado: todo mundo com cara de bunda, reclamando disso sempre que pode. “O tempo está doido”, dizem. Ouço isso desde pequeno, o que me leva a concluir que o tempo É doido, caótico, imprevisível. Como é que ninguém se acostuma com isso?

* Eu não me importo. Até gosto. Da chuva. Mas carioca não sabe usar guarda-chuva. As pessoas andam de guarda-chuva embaixo dos toldos e marquises, empurrando os que estão sem proteção para as calçadas. “Deveriam proibir isso!”, reclama o velho. Precisa de lei o que só carece de lógica?

* Hoje eu andei de ônibus com um cara que não parava de rir. Ria de tudo, assim, do nada. Não sei se de muito louco ou de muito lúcido.

* Almocei num restaurante vegetariano. Vazio, ao contrário dos outros dias. A culpa não é da chuva, mas da sexta. Sexta-feira é dia de comer na churrascaria. É no almoço de sexta que começam os excessos do fim de semana. Na segunda o vegetariano vai estar com gente até embaixo da mesa. Todo mundo com cara de bunda, de cachorro cagando na chuva, começando dieta, cheio de culpa. Todo mundo instável e imprevisível, como o clima. Preciso me acostumar com isso.

Bons excessos pra vocês – e até segunda.

1 Comment so far

  1. letícia (unregistered) on November 10th, 2006 @ 4:33 pm

    uma vez eu fiz um poema sobre isso “o tempo tá doido”

    depois te mostro.
    e hj? showzinho na lapa?
    acho que vou, hein!



Terms of use | Privacy Policy | Content: Creative Commons | Site and Design © 2009 | Metroblogging ® and Metblogs ® are registered trademarks of Bode Media, Inc.